Saúde

Coimbra: Saúde mental infantil recebe 295 mil euros

A Universidade de Coimbra recebeu um financiamento internacional no valor de 295 mil euros para implementar o programa pioneiro "Anos Incríveis", que visa a promoção da saúde mental em crianças de idade pré-escolar.
Versão para impressão
A Universidade de Coimbra recebeu um financiamento internacional de 295 mil euros para implementar, no distrito, o programa norte-americano “Anos Incrí­veis”. Este método pioneiro já foi testado junto de várias famílias portuguesas e a equipa que promove esta metodologia comprova que promove a saúde mental em crianças de idade pré-escolar.

 
O projeto, já testado em Portugal pela Universidade de Coimbra, tem como principal objetivo garantir a diminuição das desigualdades sociais e promover a saúde mental junto das crianças dos jardins de infância.

No total, os investigadores da Universidade de Coimbra, receberam um montante de 295 mil euros no âmbito do programa internacional “Iniciativas de Saúde Pública”, da European Economic Area Grants.

 
Originário dos Estados Unidos da América (EUA), este programa tem vindo a ser amplamento aplicado, com sucesso, em vários paí­ses.

Psicologia positiva e mais tempo entre pais e filhos
 

Para fazer vingar os seus objetivos o projeto aposta em estratégias positivas e preventivas que funcionam como uma “vacina” para as crianças de forma a prevenir perturbações mentais futuras. A aposta na promoção das capacidades e competências (em vez do castigo e repreensão) e em mais tempo de qualidade entre pais e filhos são alguns dos métodos utilizados.

A equipa de investigadores da Faculdade de Psicologia e de Ciências de Educação da Universidade de Coimbra é liderada por Maria João Seabra Santos e Maria Filomena Gaspar, responsáveis por formar os profissionais que integram o projeto e monotorizar a implementação do mesmo, junto das crianças.
 
Segundo as coordenadoras do projeto, o grande objetivo é que se “obtenha um efeito bola de neve, isto é, vamos formar um conjunto alargado de educadores de infância que serão depois os embaixadores do programa junto de outros profissionais, replicando o modelo em zonas cada vez mais alargadas do paí­s”.
 
As docentes acrescentam, ainda, em comunicado enviado ao Boas Notícias, que o financiamento obtido “permite continuar a levar os Anos Incrí­veis a cada vez mais famí­lias e educadores, procurando promover a saúde mental de crianças em idade pré-escolar, aumentar a eficácia dos profissionais que lidam com elas e promover uma interação positiva entre a escola, os profissionais de saúde e a família”.
 
A investigação conta com a colaboração da Universidade de Tromso (Noruega), um modelo a seguir na investigação e implementação do programa “Anos Incríveis”, e contempla ainda uma intervenção em Centros de Saúde.

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório