Sociedade

CM Cascais implementa plano de apoio para idosos

A Câmara Municipal de Cascais (CMC) anunciou esta quinta-feira diversas iniciativas para proteger os mais idosos, como a criação de um plano de intervenção e de uma linha de emergência para que qualquer cidadão possa alertar para situações de vulnera
Versão para impressão
A Câmara Municipal de Cascais (CMC) anunciou esta quinta-feira diversas iniciativas para proteger os mais idosos, como a criação de um plano de intervenção e de uma linha de emergência para que qualquer cidadão possa alertar para situações de vulnerabilidade.

A vereadora da Ação Social da câmara de Cascais, Mariana Ribeiro Ferreira, destacou à Lusa que “a maioria das instituições que lidam com os idosos do concelho de Cascais está na sua capacidade limite de respostas”, pelo que a autarquia vai desenvolver vários projetos “que possam melhorar essa capacidade junto dos idosos”.

Desde logo vai a autarquia vai tentar conhecer melhor o fenómeno, começando este ano a elaborar um Plano Gerontológico do Concelho de Cascais que deverá estar concluído em 2012.

A CMC quer também avançar com uma gestão integrada das vagas que ainda existem em instituições como lares, centros de dia e de convívio, apoios domiciliários e apoio alimentar em casa do concelho.

“Neste momento, a câmara não tem conhecimento qualificado para dirigir de forma coerente o seu investimento. Queremos saber onde é que ainda há resposta, onde é que ainda há alguma capacidade e onde é preciso capacitar de forma prioritária essa resposta”, explicou a vereadora.

A CMC pretende “valorizar o papel da boa vizinhança como antídoto para a solidão, numa altura em que tanto se fala no isolamento dos idosos”, pelo que ainda este ano vai abrir uma linha verde municipal de emergência com o apoio de uma instituição social.

A vereadora destacou ainda o desenvolvimento de projetos para promover o envelhecimento ativo, nomeadamente em 2011 o projeto Ativo55, um programa de voluntariado de valorização do património do concelho, destinado a idosos e pessoas com mais de 55 anos em situação de desemprego de longa duração ou pré-reforma.

“Ainda no âmbito do voluntariado vamos desenvolver projetos específicos para este público, nomeadamente em ações intergeracionais, com a colaboração de escolas, que têm tido resultados muito positivos na promoção do envelhecimento ativo”, contou.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub