Cultura

Cinemateca portuguesa recebe prémio internacional

A Cinemateca Portuguesa - Museu de Cinema foi distinguida, em França, com o prestigiado Prémio Henri Langlois pelo trabalho desenvolvido nas áreas de conservação e restauro de filmes. A cerimónia de entrega acontece dia 11 de Abril, em Paris.
Versão para impressão
A Cinemateca Portuguesa – Museu de Cinema foi distinguida, em França, com o prestigiado Prémio Henri Langlois pelo trabalho desenvolvido nas áreas de conservação e restauro de filmes. A cerimónia de entrega acontece dia 11 de Abril, em Paris.

O reconhecimento surge no âmbito do festival “Rencontres Internationales de Cinéma de Patrimoine” onde José Manuel Costa, diretor da Cinemateca Portuguesa, vai estar presente.  

A cerimónia também contará com a presença da atriz italiana Claudia Cardinale, presidente do Comité de Honra do evento, descrito pela própria como “um símbolo de um combate que alguns levam a cabo para a descoberta ou redescoberta de obras maiores do património mundial, obras que merecem ser preservadas, restauradas e protegidas como tesouros da nossa memória coletiva e cultural”.

Durante a cerimónia será exibida a cópia, recentemente restaurada, do filme “Mudar de Vida”, de Paulo Rocha. A programação também vai incluir a exibição de pequenos filmes rodados em 1896 por Aurélio da Paz dos Reis, pioneiro do cinema português.

As edições anteriores premiaram os Arquivos CNC francês, o Instituto Lumière de Lyon e as cinematecas de Bolinha, Berlim, Amesterdão, Luxemburgo e São Paulo.

10 anos de Prémios Henri Langlois

2016 assinala o 10.º aniversário da iniciativa que também reúne os Encontros Internacionais de Cinema do Património. A programação do Encontro inclui debates, conferências e exposições.

Os Prémios Henri Langlois destinam-se a técnicos, atores, realizadores, fundações e cinematecas cujo trabalho, em qualquer parte do mundo, contribui de forma relevante para o conhecimento e transmissão do património.

“No seu conjunto o acontecimento decorre sob  chancela 'Seguindo os passos de Henri Langlois', desse modo evocando um dos mais célebres pioneiros de todo o movimento das cinematecas, aquele que, em 1936, juntamente com Georges Franju, Paul-Auguste Harié e Jean Mitry, fundou a Cinemateca Francesa, organismo que dirigiu até à sua morte, em 1977, com 62 anos de idade”, revela a Cinemateca em comunicado.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório