Cultura

Cinema: Obras históricas no “currículo” escolar

Cerca de 20 escolas do ensino básico e secundário vão adotar, este ano letivo, o novo Plano Nacional de Cinema, que tem por objetivos a formação de novos públicos e a divulgação de "obras cinematográficas de importância histórica".
Versão para impressão
Cerca de 20 escolas do ensino básico e secundário vão adotar, este ano letivo, o novo Plano Nacional de Cinema, um projeto apresentado em Lisboa esta sexta-feira e que tem por objetivos a formação de novos públicos e a divulgação de “obras cinematográficas de importância histórica”.
 
O Plano Nacional de Cinema (PNC), criado pela Secretaria de Estado da Cultura e pelo Ministério da Educação e Ciência e que será coordenado por Graça Lobo, vai ser semelhante a um programa que já existe desde 1998 no Algarve, intitulado “Juventude Cinema Escola”, que tem tido a mesma coordenação.
 
Entre os filmes sugeridos pelo plano, que deverão ser divulgados junto dos alunos, estão, por exemplo, Aniki Bóbó, de Manoel de Oliveira, O Garoto de Charlot, de Charlie Chaplin, Serenata à Chuva, de Stanley Donen, e Eduardo Mãos de Tesoura de Tim Burton. Nas obras propostas há ainda trabalhos de João Salavisa, Regina Pessoa, José Miguel Ribeiro, Luís Filipe Rocha e Fernando Lopes.
 
A ideia do PNC já tinha sido anunciada anteriormente pelo secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, e está inscrita na nova lei do cinema e do audiovisual, com o propósito de impulsionar a criação de novos públicos e sensibilizá-los para as práticas cinematográficas e, em particular, para o cinema português.
 
Durante o presente ano letivo, o PNC funcionará em 23 estabelecimentos de ensino públicos e privados em todos os distritos, sendo que nos de Lisboa e Faro estão previstas seis escolas e no Porto duas escolas. 
 
“Em cada uma das escolas o plano será desenvolvido por um professor coordenador, sob a direção e com a responsabilidade do diretor da escola ou do agrupamento”, explicaram as tutelas da Cultura e Educação, citadas pela agência Lusa.
 
Caso o projeto-piloto seja bem-sucedido, o plano será posteriormente alargado aos restantes níveis de escolaridade, incluindo os primeiros anos do ensino básico, referiram os responsáveis. 

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório