Ciência

Cientistas fotografam interior de cobra pitão

Investigadores do Departamento de Zoofisiologia da Universidade de Aarthus (Dinamarca), fotografaram o interior de uma cobra pitão enquanto esta digeria um rato. A experiência revelou dados importantes para consolidar o conhecimento do processo diges
Versão para impressão
Investigadores do Departamento de Zoofisiologia da Universidade de Aarthus (Dinamarca), fotografaram o interior de uma cobra pitão enquanto esta digeria um rato. A experiência revelou dados importantes para consolidar o conhecimento do processo digestivo daquela espécie.

Durante o processo digestivo, que durou 132 horas, o intestino da cobra pitão birmanesa expandiu-se, a vesícula retraiu-se e o volume do coração aumentou em 25%.

Os cientistas, que verificaram o comportamento dos órgãos internos da espécie a partir de avançadas técnicas de imagiologia, julgam que o aumento do coração poderá dever-se à grande quantidade de energia necessária para a digestão daquela refeição.

Henrik Lauridsen, um dos cientistas envolvidos na experiência, explica à BBC que “a pitão é um predador sedentário”. “Jejua durante meses e depois come imenso. Pode comer o equivalente a cerca de 50% do seu peso e, para conseguir a energia necessária para digerir a comida, tem que reativar o intestino rapidamente”.

A cobra pitão birmanesa estudada tem cinco quilos, e estava anestesiada durante o processo.

Até agora, os investigadores recorriam frequentemente à dissecação para poderem estudar o interior dos animais. Esta nova técnica vem trazer inúmeras vantagens: “Por exemplo, depois de se abrir a carapaça de uma tartaruga, os pulmões colapsam, devido à mudança de pressão. Além de que, utilizando-se estas novas técnicas, não é necessário matar o animal”, explicou Kasper Hansen, também da Universidade de Aarthus.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório