Ciência

Cientistas apostam em nova arma contra a SIDA

Um grupo de investigadores norte-americanos tem vindo a apostar na modificação genética de células para combater o vírus da SIDA, baseando-se no caso do alemão que tinha leucemia e SIDA e ficou curado após receber uma transfusão de sangue de um dador
Versão para impressão
Um grupo de investigadores norte-americanos tem vindo a apostar na modificação genética de células para combater o vírus da SIDA, baseando-se no caso do alemão que tinha leucemia e SIDA e ficou curado após receber uma transfusão de sangue de um dador com resistência natural ao VIH.

O método consiste em alterar as células CD4, retirando o seu núcleo antes de as reintroduzir no organismo, explica Pablo Tebas, da Universidade da Pensilvânia, citado pela SIC.

O método foi testado em seis doentes com SIDA: metade recebeu dois mil e quinhentos milhões de células alteradas e os restantes 5 mil milhões. Três meses depois, cinco dos pacientes tinham o dobro das células que estava previsto e apenas um ficou com menos do que se esperava.

Estes dados foram divulgados no início desta semana numa conferência em Boston, nos Estados Unidos. Um segundo grupo de voluntários foi também submetido à experiência; os resultados devem ser revelados esta quarta feira.

Os cientistas ainda não sabem, contudo, precisar se o método se trata de uma cura ou mesmo de um tratamento.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub