Sem categoria

Ciência portuguesa recebe mais de um milhão de euros da Europa

Versão para impressão

Os projetos financiados, FOIE GRAS, TREATMENT, METAFLUIDICS e REP-EAT, são consórcios internacionais de diversas entidades académicas, empresariais, hospitalares e associativas.

O CNC surgiu como líder no FOIE GRAS, facto raro no contexto português. Paulo Oliveira, Milton Costa, Eugénia Carvalho, Carlos Palmeira, João Ramalho-Santos e John Jones fazem parte de um grupo de êxito, visto que estes consórcios europeus apresentam taxas de aprovação reduzidas (entre) 6% a 28%.

O Presidente do CNC, João Ramalho-Santos, referiu que “aumentar a taxa de sucesso em projetos Europeus, e coordenar alguns deles, foi uma das apostas da atual Direção do CNC e estamos muito satisfeitos com o resultado. Resta agora estender este sucesso, para além do Metabolismo e da Biotecnologia, a outras áreas do CNC. Em Ciência os desafios nunca acabam”.

Em que consistem estes projetos?

O projeto FOIE GRAS beneficiará o CNC em 476.713 euros para treinar investigadores sobre a síndrome do fígado gordo não alcoólico, promovendo, simultaneamente, a transferência para a sociedade do conhecimento adquirido. A doença tem afetado um número crescente de indivíduos no mundo, contribuindo para aumentar o risco de diabetes, cirrose hepática e cancro.

O consórcio TREATMENT conta com a participação de Eugénia Carvalho e John Jones e apresenta um valor de 495.746 euros atribuído ao CNC. Serão formados investigadores para avaliarem disfunções metabólicas de alguns órgãos, nomeadamente do cérebro, músculo, fígado e tecido gordo, causadas pela toma prolongada de medicamentos para a esquizofrenia, os quais poderão ter fortes impactos negativos na saúde e bem-estar dos doentes.

A iniciativa METAFLUIDICS financia o CNC em 407.590 euros. Tem como objetivo encontrar e estudar a funcionalidade de genes de enzimas com valor biotecnológico, bem como descobrir produtos metabólicos (por exemplo, antibióticos) a partir de bactérias que habitam ambientes de elevada temperatura (termófilos) ou de elevada salinidade (halófilos).

Já o projeto REP-EAT vai criar um programa de ensino e investigação doutoral no domínio interdisciplinar da alimentação, distúrbios alimentares e biologia da reprodução, capacitando jovens investigadores para um cruzamento holístico da investigação em saúde. Foi atribuído ao CNC um orçamento de 100.000 euros.

Os projetos vencedores no âmbito do Horizonte 2020 enquadram-se nas tipologias de financiamento “European Training Networks” (ETN) ligada à área do metabolismo e “Research and Innovation Action” (RIA) associada à área da biotecnologia.

O conteúdo Ciência portuguesa recebe mais de um milhão de euros da Europa aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub