Espetáculos e Exposições

Casa de Aristides recebe instalação de norte-americano

Na próxima quinta-feira, dia 20 de Junho, vai ser inaugurada uma instalação semi-permanente no terreno da casa de Aristides de Sousa Mendes, da autoria de um norte-americano cuja família foi salva pelo diplomata português.
Versão para impressão
Na próxima quinta-feira, dia 20 de Junho, vai ser inaugurada uma instalação semi-permanente no terreno da casa de Aristides de Sousa Mendes, da autoria de um norte-americano cuja família foi salva pelo diplomata português. Cerca de cinquenta de sobreviventes da II Guerra Mundial, salvos pelos vistos do diplomata, vão marcar presença na cerimónia. 
 
A obra é do norte-americano Eric Moed, recém-formado pela Pratt Institute School of Architecture in New York, que decidiu honrar o diplomata quando descobriu que a sua família foi salva precisamente por este português durante a II Guerra Mundial.
 
Aristides de Sousa Mendes salvou milhares de pessoas. Contra as ordens do governo e assegurou vistos a fugitivos desesperados, para que pudessem vir para Portugal. Pouco tempo depois, as ações de Aristides vieram a público e o diplomata foi severamente castigado. 

Inspirado pela história deste herói português, Eric dedicou a sua tese de fim de curso à restauração da casa de família do cônsul, em Portugal, com o objetivo de a transformar num museu.
 

Depois de apresentar o projeto, o jovem norte-americano candidatou-se ao concurso “Desempregado do Ano”, da UNHATE Foundation, e conseguiu angariar os fundos necessários para tornar a sua proposta em realidade. Chamou-lhe 'WTF: Work Towards Fairness' (Trabalhar em prol da Justiça).

Três pavilhões dedicados ao cônsul e ao holocausto
 

A instalação, que está a ser preparada desde Março, consiste na construção de três pavilhões, na entrada da Casa do Passal, em Cabanas de Viriato, onde o cônsul viveu os seus últimos dias, despojado da sua fortuna.
                                                
Os pavilhões exibem várias exposições com material relacionado com as ações do cônsul de Bordéus e com o holocausto e pretende fazer uma ligação entre o passado e o presente, inspirando as futuras gerações para a tolerância e para ações humanitárias.
 
O conteúdo da instalação foi elaborado com o apoio da Sousa Mendes Foundation, entidade com sede nos EUA fundada por familiares do cônsul que tem procurado encontrar descendentes de refugiados salvos pelo Cônsul de Bordéus.

Cerca de cinquenta de sobreviventes da Segunda Guerra Mundial, que escaparam ao holocausto graças aos vistos do diplomata, e vindos sobretudo dos EUA, vão marcar presença na cerimónia.

Esta obra tem também o apoio da Câmara de Carregal do Sal e da portuguesa Fundação Aristides de Sousa Mendes. A casa em si continua abandonada e em avançado estado de degradação mas, segundo diz o site da Fundação portuguesa, “o início das obras, para reposição da cobertura da casa, terá lugar até ao final do ano, encontrando-se o projeto aprovado pela Direcção Regional da Cultura Centro”.

Clique AQUI para saber mais sobre o projeto WTF.

Notícia sugerida por Elsa Fonseca

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub