Negócios e Empreendorismo

Carros elétricos: Rede portuguesa seduz estrangeiros

NULL
Versão para impressão

A tecnologia portuguesa Mobi.E está a fazer sucesso também fora do país. O projeto é único no mundo e existem vários países europeus interessados em implementá-lo. O seu valor está essencialmente na facilidade com que o utilizador pode carregar o seu automóvel, fazendo uso de um único cartão, como um serviço de multibanco.

A Mobi.E surgiu há dois anos como a rede de mobilidade elétrica em Portugal. O projeto incide sobre o incentivo à mobilidade elétrica, quer pelo apoio à aquisição de veículos movidos a eletricidade, quer pela instalação de uma rede de carregamento global.

Até ao final do ano a marca portuguesa prevê que estejam instalados 456 postos de carregamento, num total de 149 locais diferentes, segundo cita o Económico o diretor técnico e financeiro da Lisboa E-Nova, Miguel Águas.

O profissional esteve presente num encontro que reuniu várias personalidades em torno da questão da mobilidade elétrica, o Fórum Lisboa – Cidades de Futuro sobre a Mobilidade Elétrica, que se realizou no final do mês.

Foi nesse encontro que Luís Reis, gestor da mobilidade da Inteli, parte do painel de convidados, referiu o interesse estrangeiro na tecnologia portuguesa. Luís Reis disse que este é “um sistema de mobilidade elétrica único e reconhecido a nível mundial, sendo já considerado um caso de estudo”, cita o Económico. Países como a Holanda, Irlanda, Noruega e Malta estão prestes a importar a tecnologia.

O primeiro posto de carregamento para estes automóveis foi instalado no Parque das Nações em 2009 e, desde então, o projeto não tem parado de crescer. O Objetivo da empresa é chegar aos 1300 postos de carregamento normal e 50 de carregamento rápido espalhados por todo o território.

A tecnologia desenvolvida pela Mobi.E permite ao utilizador carregar o seu veículo num tempo estimado entre 6 a 8 horas num carregador normal, e entre 20 a 39 minutos nos rápidos.

Na reunião estive ainda presente o administrador da EMEL, Tiago Farias, que apontou o veículo elétrico como um “promotor de mobilidade”, revela o Económico.

Apesar de até agora o preço destes automóveis se ter revelado um entrave à sua aquisição, Tiago Farias disse no fórum que  “tudo aponta para que, em breve, os veículos elétricos sejam mais baratos, mais eficientes e um símbolo de sustentabilidade e de inovação”.

[Notícia sugerida por Teresa Teixeira]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório