Sociedade

Bruxelas lança programa para promover ensino digital

A Comissão Europeia quer promover o uso da informática e das tecnologias da informação nas escolas dos diferentes estados-membros. Para isso, lançou um novo programa que visa a criação de cursos para professores nesta área e a partilha de recursos ed
Versão para impressão
A Comissão Europeia quer promover o uso da informática e das tecnologias da informação nas escolas dos diferentes estados-membros. Para isso, lançou um novo programa que visa a criação de cursos para professores nesta área e a partilha de recursos educativos abertos.
 
Pelo nome 'Abrir ao Mundo os Sistemas de Educação', a iniciativa conta com o lançamento de uma página na Internet – www.openeducationeuropa.eu -, de utilização livre, para a partilha de recursos educativos abertos entre estudantes, profissionais e estabelecimentos de ensino.

“Os sistemas de ensino estão a mudar drasticamente, desde a escola à universidade e aos níveis posteriores. A educação de base tecnológica aberta será brevemente um recurso imprescindível, e não apenas útil”, refere Androulla Vassiliou, comissária para a Educação, Cultura, Multilinguismo e Juventude, citada pela Lusa.

“É preciso fazer mais para assegurar que os jovens, em especial, estão equipados com as competências digitais de que necessitam para o seu futuro. Não chega compreender como funciona uma aplicação ou um programa. É preciso que os jovens possam criar os seus próprios programas”, acrescenta a responsável. 

Como tal, entre os principais objetivos deste novo programa está a criação de oportunidades de inovação para organizações, professores e estudantes, um melhor aproveitamento dos recursos educativos abertos e ainda uma melhoria das infraestruturas de apoio às tecnologias de informação e da conectividade nas escolas.

Financiada com o apoio do programa Erasmus+, do programa Horizonte 2020 e através dos fundos estruturais da União Europeia, a ação foi apresentada na passada quarta-feira, em Bruxelas.

“O meu sonho é que todas as salas de aula estejam digitais até 2020. A educação deve estar ligada à vida real, não pode ser um universo paralelo”, referiu, na altura, Neelie Kroes,  vice presidente da Comissão responsável pela Agenda Digital.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub