Inovação e Tecnologia

Bosch: Casas inteligentes criam 150 empregos em Aveiro

A Bosch Termotecnologia iniciou, a semana passada, em Aveiro, a construção do seu segundo Centro de Investigação e Desenvolvimento de soluções para as casas inteligentes do futuro, um investimento de 25ME que vai dar emprego a 150 engenheiros.
Versão para impressão
A Bosch Termotecnologia iniciou, a semana passada, em Aveiro, a construção do seu segundo Centro de Investigação e Desenvolvimento de soluções para o aquecimento de água e climatização das casas inteligentes do futuro, um investimento de 25 milhões de euros que deverá permitir, até 2020, a contratação de 150 engenheiros portugueses.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a multinacional explica que nesta nova unidade aveirense vão ser desenvolvidas tecnologias focadas na conectividade dos aparelhos, na eficiência energética e na redução de emissões para residêcias sustentáveis, prevendo-se que a construção do centro esteja finalizada em 2016.
 
A primeira pedra do novo edifício foi lançada na sexta-feira pelo Ministro da Economia, António Pires de Lima, que, em Janeiro último, visitou as instalações da sede da Bosch na Alemanha e esteve reunido com um dos membros do Conselho de Administração do Grupo.
 
A propósito do início da construção, o governante destacou “a importância para Portugal de empresas como a Bosch, não só pela perspetiva do investimento mas também pela aposta nos portugueses, permitindo ao país reter talentos com a criação de emprego altamente qualificados”.

Multinacional já tem 3.500 colaboradores em Portugal
 

Com efeito, a Bosch, que tem, atualmente, 3.500 colaboradores no nosso país, dos quais 250 estão nos centros de desenvolvimento de Aveiro, Braga e Ovar, é um dos maiores empregadores em Portugal, pretendendo continuar a investir e contratar, nomeadamente engenheiros para os seus projetos de inovação. 
 
O próximo objetivo será duplicar, até 2020, o número de engenheiros nos seus centros de I&D em Portugal, uma “localização estratégica para a Bosch na Europa”, afirma João Paulo Oliveira, presidente da Bosch Termotecnologia. 
 
Somos cada vez mais competitivos e distinguimo-nos pela elevada qualidade dos nossos recursos humanos, pelo elevado índice de inovação e qualidade dos nossos produtos, e pelo nosso desempenho industrial. O Grupo reconhece essas vantagens competitivas e, neste sentido, tem consolidado a sua presença no nosso país com novos projetos tanto na área da produção como no I&D”, destaca o responsável.
 
De realçar que, nos últimos anos, a Bosch reforçou ainda a sua parceria com entidades governamentais em Portugal, nomeadamente através da sua unidade em Braga, que está atualmente a desenvolver 14 projetos de I&D em parceria com a Universidade do Minho. 
 
No âmbito deste projeto, parcialmente financiado com fundos europeus, a multinacional deverá investir 19 milhões de euros naquela cidade portuguesa em 2015. A empresa já entregou uma nova candidatura aos fundos do Compete no valor de 48 milhões de euros a serem investidos até 2018, de forma a garantir a continuidade das suas atividades de inovação em parceria com a Universidade do Minho.
 
A Bosch Termotecnologia está, igualmente, neste momento, em fase de discussão final para a realização de um projeto semelhante com a Universidade de Aveiro.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório