Ambiente

Biomares restaura biodiversidade marinha

A iniciativa dá pelo nome de Biomares e o seu plano de ações passa pela recuperação das pradarias de ervas marinhas, pela instalação de amarrações e de uma doca flutuante para um acesso seguro às embarcações que não prejudique a vida marinha, bem com
Versão para impressão
A iniciativa dá pelo nome de Biomares e o seu plano de ações passa pela recuperação das pradarias de ervas marinhas, pela instalação de amarrações e de uma doca flutuante para um acesso seguro às embarcações que não prejudique a vida marinha, bem como pela sensibilização da opinião pública. Tudo no Parque Marinho Professor Luiz Saldanha, integrado no Parque Natural da Arrábida.  

O objetivo é restaurar a biodiversidade em habitats considerados essenciais pela União Europeia: bancos de areia permanentemente cobertos por água do mar pouco profunda, recifes e grutas marinhas submersas ou semi-submersas. 

Uma das mais importantes intervenções do Biomares no Parque Marinho prende-se com a renovação dos recursos marinhos, por via do transplante de plantas recolhidas em locais dadores – o Estuário do Sado, o Rio Mira e a Ria Formosa são alguns dos exemplos. Em meio controlado, serão efetuadas experiências com germinação de sementes e desenvolvimento de plantas a partir daquelas, de modo a aumentar a diversidade genética da população transplantada.

O Biomares prevê ainda uma atenta monitorização da pesca local, já que muitas das suas práticas – assim como as que se verificam em algumas atividades de recreação e lazer – são apontadas como o principal fator de ameaça da biodiversidade existente no Parque Marinho.

A equipa, constituída por mais de 30 especialistas nas áreas das Ciências do Mar, Ambiente e Biologia, espera conseguir diminuir a probabilidade de extinção local de espécies residentes e crê que as áreas adjacentes beneficiem da migração de adultos e juvenis de diversas espécies, através da exportação de ovos, larvas e propágulos.

O projeto envolve entidades nacionais e internacionais, entre elas o Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB), o Instituto Nacional de Recursos Biológicos (IPIMAR) e o National Oceanic and Atmospheric Administration.

O Parque Marinho ocupa uma área de 52 quilómetros quadrados, entre a Serra da Arrábida e o Cabo Espichel, estendendo-se entre as praias da Figueirinha e da Foz.

Saiba mais sobre o Biomares aqui.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório