Ambiente

Berlengas: Alargada proteção das aves selvagens

De acordo com a portaria publicada, esta quinta-feira, dia 17 de Maio, em Diário da República, o Governo alargou a zona de proteção das aves selvagens nas Berlengas, ao largo de Peniche.
Versão para impressão

O Governo alargou a zona de proteção das aves selvagens nas Berlengas, ao largo de Peniche. O alargamento foi dado a conhecer através de uma portaria publicada, esta quinta-feira, dia 17 de Maio, em Diário da República.

O decreto-lei vem alterar a zona de proteção, incluindo a partir de agora as áreas de alimentação e repouso da cagarra, uma espécie de ave selvagem que ali habita.

Segundo a Lusa, esta mudança, que decorre também de uma diretiva comunitária, tem como objetivo “assegurar a efetiva salvaguarda dos valores naturais em presença”, nomeadamente as áreas de “importância excecional para a conservação das aves selvagens”.

Classificado em 2011 como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), o arquipélago das Berlengas é composto por três pequenas ilhas: Berlenga Grande, Estelas e Farilhões.

Nas ilhas nidificam seis espécies de aves marinhas: duas espécies de gaivotas, a cagarra (ou pardela), o corvo-marinho, o airo e o roque-de-castro.

A localização privilegiada do arquipélago contribui para a produtividade e diversidade de espécies e de habitats marinhos, bem como para uma paisagem única na região.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub