Saúde

Beber vinho reduz morte por doença nos homens

Continuam a crescer as evidências dos benefícios da ingestão moderada de vinho para a saúde. Um amplo estudo francês acaba de descobrir que existe uma associação entre este hábito e um menor risco de mortalidade devido a doenças como o cancro.
Versão para impressão
Continuam a crescer as evidências dos benefícios da ingestão moderada de vinho para a saúde. Um amplo estudo francês acaba de descobrir que existe uma associação entre este hábito e um menor risco de mortalidade devido a doença cardiovascular ou cancro entre os homens de meia idade. 
 
As conclusões foram apresentadas pelos investigadores no passado fim-de-semana, durante a conferência WineHealth que decorreu em Sidney, na Austrália, depois de as equipas da Université Paris Ouest Nanterre La Défense e da Bordeux Segalen University terem acompanhado 35,292 homens ao longo de 28 anos.
 
Os especialistas franceses observaram que, quando mais de 50% do consumo de álcool destes homens correspondia a vinho, os mesmos apresentavam um menor risco de morte por doença cardíaca ou cancro oral, rectal, cancro do pulmão, da faringe, da laringe ou da bexiga.  
 
No início do estudo, os indivíduos, na sua maioria oriundos da zona oriental de França, tinham idades entre os 40 e os 65 anos. No final, foram registadas 4.035 mortes por cancro, ao passo que o número de mortes por doença cardiovascular não foram revelados, avança a AFP. 
 
De acordo com aquela agência noticiosa, o consumo moderado de vinho mostrou-se associado a uma redução de 40% no risco de mortalidade por doença cardiovascular e de 20% no risco de mortalidade devido a um cancro. 

Comunidade científica continua dividida
 

Apesar destes resultados, a comunidade científica continua dividida em relação aos benefícios do vinho e, em particular, ao chamado “paradoxo francês”, crença que, entre outros aspetos, sugere que estes benefícios conseguem anular os riscos da dieta tipicamente pouco saudável e rica em gorduras saturadas dos franceses e do risco de doença coronária. 
 
Um outro estudo, publicado na revista científica Journal of Epidemiology and Community Health, já tinha sugerido que beber, pelo menos, meio copo de vinho por dia pode aumentar em cinco anos a esperança de vida dos homens.
 
Por outro lado, uma investigação desenvolvida pela Washington University School of Medicine, nos EUA, descobriu que o resveratol, o poderoso antioxidante do vinho tinto que os especialistas creem que reduz o risco de doença cardíaca, tinha poucos efeitos na saúde de mulheres consideradas saudáveis.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub