Saúde

Beber chocolate quente estimula a atividade cerebral

Beber duas chávenas de chocolate quente por dia ajuda a manter o cérebro ativo e saudável, prevenindo o declínio da memória em pessoas mais idosas e preservando o fluxo de sangue nas áreas funcionais do cérebro. As conclusões são de um estudo levado
Versão para impressão
Beber duas chávenas de chocolate quente por dia ajuda a manter o cérebro ativo e saudável, prevenindo o declínio da memória em pessoas mais idosas e preservando o fluxo de sangue nas áreas funcionais do cérebro. As conclusões são de um estudo levado a cabo por uma equipa de investigadores da Harvard Medical School.
 
Com o objetivo de determinar o efeito do consumo de cacau a nível do raciocínio e do desempenho da memória, os especialistas decidiram avaliar o acoplamento neurovascular, que é onde o fluxo de sangue no cérebro muda, em resposta à atividade cerebral local. 
 
Em comunicado, Farzaneh A. Sorond, autor e membro da Academia Americana de Neurologia, refere que “à medida que as diferentes áreas do cérebro precisam de mais energia para completar as suas tarefas , elas também precisam de um maior fluxo de sangue”. É precisamente esta relação, segundo conta, chamada de acoplamento neurovascular, que “pode desempenhar um papel importante na prevenção de doenças como a de Alzheimer”.
 
Para os ensaios foram recrutados 60 idosos, com uma média de 73 anos e livres de qualquer tipo de demência. Durante trinta dias foi-lhes pedido para beberem duas chávenas de chocolate quente por dia, com a indicação de que não consumissem mais nenhum produto com chocolate durante esse período.
 
Antes e depois, foram feitos testes à memória e capacidade de raciocínio dos participantes. Os resultados deram conta de melhores pontuações em testes à velocidade da memória de trabalho. Se, ao início, a média que cada um levava para completar o testo era de 167 segundos, no final era já de 116. 
 
Foi ainda usado um mecanismo ultrassom para medir a evolução no acoplamento neurovascular (resposta do fluxo sanguíneo para a atividade do cérebro), que, no final, tinha registado melhorias de cerca de 8,3%.
 
Um subgrupo de 24 participantes foi ainda submetido a exames de ressonância magnética, com vista à identificação de pequenas lesões na região branca do cérebro, normalmente decorrentes de restrições no fluxo do sangue. 
 
“Há uma forte correlação entre o acoplamento neurovascular e as funções cognitivas. Podem ambos ser melhorados através do consumo regular de cacau”, conclui o responsável.

Notícia sugerida por Maria Pandina

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub