Mundo

Bebé que sofreu hemorragia quase total sobreviveu

Um bebé britânico sobreviveu a um raro problema de saúde que o fez nascer praticamente sem sangue e sem batimento cardíaco. Agora, aos 15 meses, é saudável e feliz.
Versão para impressão
Um bebé britânico sobreviveu a um raro problema de saúde que o fez nascer praticamente sem sangue e sem batimento cardíaco, graças a uma transfusão recebida ainda no útero da mãe. Agora, aos 15 meses, o pequeno Oliver Morgan é uma criança saudável e feliz. 
 
Durante a gravidez de Katty Jeff, a mãe do menino, foi detetada a formação de veias fora da membrana amniótica, o que impossibilitava a circulação adequada de sangue para o feto – uma condição designada “vasa prévia”. 
 
Às 37 semanas de gestação, Katty teve de ser transportada de urgência para o hospital devido a uma hemorragia causada pelo rompimento desses vasos sanguíneos, conta a imprensa inglesa.
 
Na sequência do episódio, foi necessária uma cesariana de emergência, mas os médicos constataram que o menino estava pálido e sem sinais vitais. Após várias tentativas de reanimação, a equipa decidiu submeter o bebé a uma transfusão de sangue que foi bombeado para o cordão umbilical.
 
O sangue foi passado quase gota a gota para o corpo de Oliver, ainda no útero da mãe, e ao fim de 25 minutos o seu coração bateu pela primeira vez. “Ele não tinha sangue, batimentos cardíacos e parecia morto. Mas, de alguma forma, ele voltou”, contou Katty ao jornal britânico The Telegraph. 
 
“Agora ele está aqui, sentado e a sorrir para mim”, acrescentou a mãe, de 36 anos, admitindo que o nascimento foi tão traumático que, até este momento, não tinha tido coragem de contar a história ao mundo. 
 
Oliver esteve durante 11 dias numa unidade especial, onde os médicos trabalharam para prevenir potenciais lesões permanentes, levando o sangue a fluir para o cérebro e o coração da criança. 
 
Contrariando todas as expetativas, o menino recuperou totalmente e, desde então, tem estado em casa com a mãe, o pai Jeff e o irmão Jack, de sete anos de idade, e tido uma vida perfeitamente normal. “Os médicos trouxeram-no, literalmente, de volta à vida, e nunca vou ser capaz de agradecer-lhes o suficiente por este presente maravilhoso”, concluiu Katty.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub