Em Destaque Inovação e Tecnologia

Basta fazer scan ao código de barras do cartão de embarque, através da câmara do telefone

O novo Leitor de Cartões de Embarque, incorporado na app AirHelp, permite verificar de forma rápida e fácil se o voo é elegível para compensação, em caso de perturbações. 
Versão para impressão
por redação

A AirHelp especializada na defesa dos passageiros aéreos, acaba de lançar o Leitor de Cartões de Embarque. Pela primeira vez, os passageiros aéreos que tenham sido afetados por atrasos ou cancelamentos, podem verificar de imediato se o voo é elegível para compensação, utilizando um scanner incorporado numa aplicação para dispositivos móveis. Através da app AirHelp, disponível gratuitamente para iOS e Android, os passageiros apenas necessitam de fazer scan ao código de barras do cartão de embarque, com a câmara do telefone. Assim, conseguem perceber de forma rápida e fácil se têm direito a compensação e dar seguimento ao processo de reclamação.

Além de disponibilizar aos utilizadores atualizações em tempo real da sua reclamação, o Leitor de Cartões de Embarque permite aos passageiros adicionar vários cartões de embarque de uma só vez, mantendo-os organizados e arquivados (ideal para famílias e grupos). Funciona perfeitamente com a totalidade da app, que fornece conselhos acerca dos direitos do consumidor, de forma livre e independente.

Bernardo Pinto, Country Manager da AirHelp de Portugal e Brasil, refere: “Inovações tecnológicas como o Leitor de Cartões de Embarque são etapas fundamentais para tornar o processo de reclamação de compensações mais simples e direto, quer para o consumidor, quer para a AirHelp. Por isso, estamos muito satisfeitos com o lançamento deste novo recurso”.

“Sabemos que, todos os anos, mais de oito milhões de passageiros têm direito a uma compensação devido a atrasos, cancelamentos ou impedimentos de embarque em voos, mas apenas 2% conhece os seus direitos e avança com a reclamação. A nossa prioridade é garantir que os passageiros não são demovidos de reivindicar os seus direitos, dando-lhes o poder de pedirem compensações através de apenas alguns clicks no smartphone”, acrescenta Bernardo Pinto.

 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub