Ambiente

Barco 100% reciclável ruma até Sydney

Construído ao longo de quatro anos a partir de 12.500 garrafas de plástico usadas, o barco Plastiki partiu de São Francisco (EUA), tendo como destino final a cidade australiana de Sydney. O objetivo é transportar pelo mundo a ideia de que o
Versão para impressão
[Foto: Luca Babini]
Construído ao longo de quatro anos a partir de 12.500 garrafas de plástico usadas e outros materiais recicláveis, o barco Plastiki partiu de São Francisco (EUA) rumo à cidade australiana de Sydney. O objetivo é transportar pelo mundo a ideia de que os resíduos são recursos valiosos em diversas atividades, por oposição ao fácil desperdício a que dão origem.

David de Rothschild é o líder do projeto e da tripulação composta por outras cinco pessoas, incluindo o realizador da National Geographic Max Jourdan. Fundador da organização Adventure Ecology, promotora de práticas ambientalmente sustentáveis, Rothschild inspirou-se na travessia marítima feita pelo norueguês Thor Heyerdahl que, em 1947, viajou da Polinésia ao Perú num barco feito a partir da balsa Kon-Tiki. 

A iniciativa pretende alertar para a importância da preservação dos oceanos, cuja poluíção, a nível mundial, é maioritariamente provocada pelo despejo de plásticos (60 a 80 por cento do total da poluíção). Estima-se que pelo menos um milhão de cegonhas e 100 mil mamíferos marinhos e tartarugas do mar morram, todos os anos, devido à poluíção marinha, informa a organização, em comunicado.

Demonstrando ainda a importância das energias renováveis, o Plastiki serve-se principalmente de painéis solares e da captação eólica para garantir a sua autosuficiência energética até ao final da travessia. O barco dispõe ainda de bicicletas que não só permitem que a tripulação se exercite, como também geram energia. 

O barco dispõe ainda de um espaço destinado a um jardim hidropónico, irrigado através da água do mar dessalinizada e onde podem ser cultivados alguns vegetais para a alimentação dos tripulantes.

Em declarações à CNN, Rothschild refere que “tudo no barco será objeto de compostagem. Até a embarcação acabará por ser reciclada quando terminarmos [a viagem]”.

A viagem do Plastiki pelo sul do Pacífico dura há 25 dias, o que representa um total de 600 horas passadas no oceano. Com uma extensão total de 11 mil milhas, a rota passa pela chamada “grande sopa de plástico”, zona que marca a maior concentração de lixo do mundo, nos oceanos.
 
Acompanhe a viagem e saiba mais em http://www.theplastiki.com/

[notícia sugerida pela utilizadora Inês Fernandes]

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório