Inovação e Tecnologia

Baixa do Porto já está online

Agora, já é possível visitar algumas das lojas da baixa do Porto sem sair de casa. A nova plataforma Baixa Online, lançada em Maio, quer dinamizar o comércio da zona histórica da Invicta, sobretudo na área da moda.
Versão para impressão
Agora, já é possível visitar algumas das lojas da baixa do Porto sem sair de casa. A nova plataforma Baixa Online, lançada em Maio, quer dinamizar o comércio da zona histórica da Invicta, sobretudo na área da moda.

Acedendo ao site, que está disponível em português e inglês, o cliente só precisa escolher a loja ou categoria que lhe interessa, visualizar os produtos, e clicar pra fazer a compra online. O projeto ainda esté em fase piloto mas já conta com nove lojas e o objetivo é continuar a crescer.

A fundadora do site, Régia Machado, disse à agência Lusa que a Baixa Online tem por base a cidade do Porto mas pode, mais tarde, vir a estender-se a outras localidades.

Apesar do otimismo face ao projeto, Régia Machado, designer gráfica formada na Escola Superior de Artes e Design,  confessa que tem vindo a encontrar em alguns comerciantes “a desconfiança natural perante um projeto novo”.

“Andámos a desbravar terreno. Abordámos as lojas e explicámos o nosso conceito. E notámos a desconfiança dos lojistas, sobretudo dos mais velhos e tradicionais, para coisas novas e não palpáveis, como é o mundo digital. Alguns nem site na Internet têm”, explica.

Gerar mais economia

“Mas a adesão tem sido boa e crescente, porque é uma ferramenta que faz falta para ajudar a promover o comércio local”, disse Régia Machado, acrescentando que a ideia de criar o “Baixa Online” surgiu exatamente quando “passeava pelas ruas do Porto” ou quando procurava moradas ou informação e não encontrava dados na Internet.

Além deste serviço de compra e divulgação de produtos, que inclui promoções e passatempos, o “Baixa Online” conta com uma novidade, um serviço de consultadoria de moda, prestado pela psicóloga, Helena Martins, que se associou a este projeto há poucas semanas.

E Régia Machado garante que esta plataforma não tem por objetivo “substituir a venda”, mas sim “acrescentar valor” ao ato de comprar e investir no comércio local, até porque “muitas vezes as pessoas que visitam a plataforma só o fazem para ver o catálogo, preferindo dirigir-se às lojas para a compra final”, porque o importante é “multiplicar visitantes do site em compradores de artigos do Porto e no Porto”, gerando “mais economia”.

Clique AQUI para visitar a Baixa Online.

Notícia sugerida por Elsa Fonseca
 

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub