Ambiente

Australianos querem impedir abate de sobreiro português

Um grupo de moradores da cidade de Norwood, na Austrália, quer impedir o corte de um sobreiro português centenário daquela região para efeitos de construção de um parque de estacionamento subterrâneo.
Versão para impressão
Um grupo de moradores da cidade de Norwood, na Austrália, quer impedir o corte de um sobreiro português centenário daquela região para efeitos de construção de um parque de estacionamento subterrâneo. 
 
Os habitantes decidiram pedir a intervenção do governo do estado da Austrália do Sul por forma a que a árvore não seja derrubada. A notícia foi avançada pelo jornal 'The Australian', segundo o qual as autoridades locais já se encontram a analisar o pedido feito pela empresa construtora Coles.
 
No entanto, o presidente do grupo de moradores da localidade, Jim Dunk, defende que o sobreiro português representa uma parte importante do património daquela região, pelo que o seu corte será um ato de “um vandalismo” que vai significar a perda de uma parte significativa da cultura botânica da localidade.
 
De acordo com os registos da 'National Trust of Austrália' – organização que defende a preservação do património indígena, natural e histórico do país' -, a árvore foi plantada pelo conselho municipal de Kensigton e Norwood. Ainda assim, há outros a reivindicar o seu plantio.
 
Clyde Buttery, de 76 anos, citado pelo 'The Australian', conta que foi o seu bisavô Henry Buttery que trouxe a árvore de Portugal, quando viajou de Inglaterra para o sul da Austrália em 1870. A árvore “faz parte da história de Norwood e é parte da história da minha família”, diz o australiano.
 
Henry Buttery terá plantado a árvore no quintal da sua casa em Norwood, quando comprou o imóvel, sendo a sua família conhecida no ramo do fabrico de móveis.

Para além de Norwood, Jim Dunk, faz saber que também foram plantados sobreiros noutras partes da Austrália, como, por exemplo, em Tenterfield, em Nova Gales do Sul, e em Caufield, Vitória. As preocupações, no entanto, ficam-se por aqueles subúrbios de Adelaide, uma vez que, nos restantes locais, os sobreiros portugueses foram já conservados e incluídos no património desses estados australianos.

Saba mais AQUI.

Notícia sugerida por Elsa Martins, Maria Pandina e Patrícia Guedes

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub