Cultura

Arte Rupestre: Mestrado atrai alunos estrangeiros

O mestrado em Arqueologia Pré-Histórica e Arte Rupestre foi criado pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) na sequência da descoberta das gravuras rupestres em Vila Nova de Foz Côa. O curso tem vindo a atrair dezenas de alunos de todo
Versão para impressão
O mestrado em Arqueologia Pré-Histórica e Arte Rupestre foi criado pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) na sequência da descoberta das gravuras rupestres em Vila Nova de Foz Côa. O curso tem vindo a atrair dezenas de alunos de todo o mundo.

A arqueóloga Mila Simões de Abreu, uma das docentes deste mestrado, considera que este serve de “referência”, atraindo alunos dos mais diferentes países, desde a Índia, Guatemala ou Brasil, à UTAD, disse à agência Lusa.

A responsável, que é também representante da Federação Internacional das Organizações de Arte Rupestre, considera que as gravuras de Foz Côa são ainda hoje uma das principais descobertas de arte rupestre ao ar livre da Europa, salvas por um esforço coletivo que travou a construção da barragem naquela região.

O museu do Côa, com inauguração agendada para sexta feira, representa um momento alto para todos os que alertaram para os riscos provocados pela construção de uma barragem junto a um dos maiores achados de pinturas rupestres do mundo.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório