Ciência

Arouca revela fósseis com 310 milhões de anos

Oito alunos do ensino secundário que participavam no programa "Ciência Viva no Verão", no Geoparque de Arouca, descobriram, com a ajuda do paleontólogo Artur Sá, fósseis vegetais com 310 milhões de anos.
Versão para impressão
Oito alunos do ensino secundário que participavam no programa “Ciência Viva no Verão”, no Geoparque de Arouca, descobriram, com a ajuda do paleontólogo Artur Sá, fósseis vegetais com 310 milhões de anos.

Quinze espécies diferentes de plantas foram descobertas no vale do Rio Paiva, todas do Período Carbónico, conforme especifica Artur Sá, coordenador científico do Geoparque de Arouca , espaço que integra a Rede Europeia de Geoparques da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura).

“A geologia indicava que isto era uma possibilidade real, mas ainda não tínhamos encontrado nenhum fóssil destes”, explica o coordenador à agência Lusa.

Até agora só haviam sido detetadas formações de origem animal, apesar de referências antigas à existência de exemplares do género.

Artur Sá defende assim que a descoberta “é muito boa a nível científico, porque representa mais uma ocorrência geológica invulgar dentro do Geoparque de Arouca e prova que ainda há muito trabalho a fazer neste território”.

O envolvimento destes jovens no processo pode ser revelador, “porque eles vão entrar na universidade no próximo ano, ainda estão indecisos quanto ao seu futuro e a paleontologia pode agora ser uma opção”, frisou Artur Sá.  

Os fósseis das plantas com 310 milhões de anos já deverão estar expostos no Museu Municipal de Arouca, onde os exemplares mais interessantes poderão ser apreciados pelo público em geral.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório