Saúde

“Aprenda a Salvar o seu filho” no Hospital de Faro

O Hospital de Faro e a secção sul da Ordem dos Enfermeiros promovem um curso de um dia para pais sobre como proceder quando existe risco de afogamento de uma criança. O objetivo deste curso de suporte básico de vida pediátrico intitula-se "Aprenda a
Versão para impressão
O Hospital de Faro e a secção sul da Ordem dos Enfermeiros promovem um curso de um dia para pais sobre como proceder quando existe risco de afogamento de uma criança. O objetivo deste curso de suporte básico de vida pediátrico intitula-se “Aprenda a Salvar o seu filho” e pretende ajudar a prevenir acidentes na água e afogamentos das crianças.

De acordo com a enfermeira diretora do hospital, Filomena Martins, o essencial é não entrar em pânico, pedir de imediato socorro e iniciar algumas manobras de reanimação enquanto não chega ajuda.

Levantar o queixo à criança para libertar as vias aéreas ou fazer respiração boca a boca são algumas das manobras que enfermeiros da urgência pediátrica do Hospital de Faro vão ensinar aos pais.

São técnicas de suporte básico de vida pediátrico que podem ser executadas pelos pais de imediato e que podem contribuir para reverter a situação, mas que têm de ser treinadas.

Contudo a melhor solução está sempre na prevenção e na vigilância. “É preciso ter cuidado com os colchões, as braçadeiras devem estar sempre colocadas”, avisa a mesma responsável sublinhando que o ideal quando se está junto a uma piscina seria que todos colocassem “coletes de salvação”.

O curso destina-se a pais com filhos até 8 anos. Irá realizar-se no Hospital de Faro durante os meses de julho e agosto de 2010 conforme comunicado no site da Ordem dos Enfermeiros. Terá duração de um dia das 9 horas às 17 horas e decorre aos sábados.

Para informações e inscrições deverá contactar o secretariado da Secção Regional do Sul da Ordem dos Enfermeiros através do mail ausenda.duarte@ordemenfermeiros.pt.

Em Portugal, nos últimos sete anos estima-se que cerca de 150 crianças e adolescentes até aos 18 anos morreram por afogamento. Segundo a APSI, o número de acidentes em piscinas tem aumentado em Portugal.

O afogamento é a segunda causa de morte acidental nas crianças, ultrapassada apenas pelas mortes em acidentes rodoviários e é responsável por meio milhão de mortos por ano, em todo o mundo, segundo dados da Unicef de 2001 citados pela agência Lusa.

[Notícia sugerida pela utilizadora Ana Marta]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório