Emprego e Poupança

ABC da Poupança: o orçamento do prazer

NULL
Versão para impressão
Olá a todos e Boa Primavera!

Nesta altura fico sempre com uma inevitável sensação de renovação e crescimento! É Primavera e vemos as plantas a crescerem e desenvolverem-se, a mostrarem aquilo em que se tornam depois de deitadas as semente à terra… E é mesmo sobre isso que vamos falar hoje: Como semear e ter satisfação ao fazê-lo!

[Por Ana Bravo, especialista em Economia Doméstica]

Image and video hosting by TinyPic
No último ABC fizemos um orçamento. Naturalmente percebemos que é preciso estabelecer limites de valor a gastar por rubrica e fizémo-lo. Pedi-vos que ponderassem sobre o valor que estariam dispostos a canalizar para as coisas que gosta de fazer, para o seu lazer (orçamento do prazer) e qual o valor que pode colocar para o seu conforto e sua segurança (poupança).

O ideal é poupar todos os meses um valor igual ou superior a 10% do seu rendimento. E porquê 10%? A nossa mente tem elasticidade para suportar esse valor e ele por isso torna-se como uma boa referência para início. Para garantir que todos os meses paga a si próprio esse valor, vá até ao seu banco e preencha uma ordem de transferência, do valor que estipulou, para uma conta específica para o efeito. Certifique-se que se trata de um uma conta sem risco, mesmo que os juros sejam baixos. Lembre-se que é a sua segurança que está a construir.

Como não podia deixar de ser, vamos agora falar na importância de nos sentirmos gratificados pelo trabalho que desenvolvemos durante um mês. É muito imprescindível que se presenteie! Se não o fizer é muito natural que se desmotive, por isso é tão importante que escolha algo que gosta de fazer e estipule um valor mensal para isso. Neste caso, é também muito importante que o valor que estipular para o orçamento do prazer não seja superior ao da poupança. Se proceder desta forma manter-se-á fiel ao seu orçamento e atingirá os seus objetivos.

No próximo ABC gostaria de partilhar convosco algumas ideias sobre orçamento previsional mas para isso é importante que tenha já “afinadas” todas as rubricas e limites para as mesmas de forma que possamos continuar, e desta vez, olhando um pouco mais além do que o fim do mês.

É tudo por agora e lembre-se: depois de deitadas à terra as sementes germinam e dão frutos!

[Ana Bravo é consultora de crédito bancário e sócia-gerente da RP Créditos e RP Formação. Para saber mais sobre os serviços, cursos e workshops desta empresa de consultoria e educação financeira clique aqui]

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub