Sociedade

20 mil juntam-se ao protesto da “geração à rasca”

Mais de 20 mil pessoas já confirmaram a sua participação, através do Facebook, no protesto de dia 12 de março, em vários pontos do país, pela "geração à rasca". O movimento "apartidário, laico e pacífico" reivindica o direito ao emprego e à educação
Versão para impressão
Mais de 20 mil pessoas já confirmaram a sua participação, através do Facebook, no protesto de dia 12 de março, em vários pontos do pais, pela “geração à rasca”. O movimento “apartidário, laico e pacífico” reivindica o direito ao emprego e à educação e o fim da precariedade.

“Foi um movimento espontâneo e cívico em que ambicionávamos criar um grupo de debate, uma certa concertação social que envolvesse políticos, empregadores, jovens, pessoas de mais idade, que neste momento se encontram em situação precária”, explicou à agência Lusa Paula Gil, membro da organização do evento.

A iniciativa, que se dirige aos desempregados, “quinhentoseuristas” e “outros mal remunerados”, foi agendada para a Avenida da Liberdade, em Lisboa, e a Praça da Batalha, no Porto, mas a organização tem sido contactada “por muitas pessoas que pretendem desenvolver o protesto” noutras zonas do país.

Assim irá acontecer em Ponta Delgada, nos Açores, onde um grupo de cidadãos está a convocar uma “Manifestação da Geração à Rasca” para o mesmo dia, nas Portas da Cidade.

Para “desencadear a mudança”, diz Paula Gil, pede-se aos manifestantes que levem uma folha A4 com “o motivo da [sua] presença e uma solução”, para depois ser entregue na Assembleia da República.

Saiba mais sobre o evento clicando aqui.

[Notícia sugerida pela utilizadora Mariana Rabaça]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub